Fusca 62 – O carburador do fusca 1200

Há oito meses só funcionando na garagem até já esperava que houvesse algum problema no sistema de alimentação do meu VW Sedan, só não imaginava que fosse aprender tanto com ele e ficar extremamente contente com o que vi.

Meu carro já apresentava indícios de mal funcionamento na marcha lenta quando era colocado em funcionamento para esquentar o motor, isso fez com que eu retomasse e replanejasse seu projeto de restauro. As constantes falhas na aceleração, ponto descompassado e o motor morrendo com grande frequência fizeram com que eu levasse o carro a um mecânico para que fosse feita aquela revisão no sistema de alimentação.

Depois de ouvir alguns insultos dos motoristas apressadinhos em seus carros cheirando a tinta fresca, que às 8h da manhã não gostaram  nada de dividir o asfalto com um carro antigo trafegando numa média de  20 km/h (entre engasgos e apagar de fogo), enfim cheguei à oficina.

Um novo mecânico

A primeira expressão da pessoa que vai mexer no carro já dá uma ideia do que vem pela frente. Normalmente reações de surpresa, seguidas de expressões do tipo: “Faz tempo que não via um destes!”, “Rapaz, isso é uma relíquia!” indicam que o mecânico não manja muito do carro, e que provavelmente você terá que explicar algumas coisas. Quando as expressões começam com “Olha só…isso!”, “Olha só aquilo!” , acompanhadas de um dedo apontado para alguma peça do carro, é melhor cair fora e bem rápido.

Os bons mecânicos e conhecedores deste tipo de carro que conheci não se surpreenderam com tanta facilidade, foram até bem calados no início, mas logo começaram a contar histórias dos carros nos quais trabalharam e me explicaram com prazer as partes do carro que estavam mexendo, isso, sem dúvidas me deixava muito mais tranquilo.

Bom, desta vez a reação do mecânico não chegou a me tranquilizar ao ponto de desgrudar do carro, mas ele demonstrou certa experiência com motores 1300, o que julguei ser razoável dada a sua pouca idade.

Acontece que a alma das coisas está nos detalhes. Hoje concordei ainda mais com essa máxima e aprendi uma lição: motores 1200 são bem diferentes de motores 1300, especialmente os carburadores.

– Qual foi o problema?

Quando fiz esta pergunta a resposta veio acompanhada de uma coçadinha no couro cabeludo: – tá faltando alguma peça aqui, a gasolina não está chegando na câmara!

Resumindo o enredo, o mecânico achou por bem levar o carburador num especialista, pois ele não teria a tal peça. Chegando no especialista, o carburador foi totalmente desmontado, limpo e inspecionado. Fiquei muito contente em saber que estava bem íntegro para a idade que imagino que ele tenha, mais um sinal de que o carro foi bem cuidado por seu(s) antigo(s) dono(s).

Então, chegou-se a um veredito: o bico injetor (uma peça em formato de bengala) está quebrado, tem que arrumar um novo.

Rodei a cidade inteira atrás deste bendito injetor e não encontrei. Ok, tratando-se de Aracaju nenhuma novidade até então. A busca na internet também não trouxe muita luz. Então, resolvi ouvir a sugestão do mecânico em procurar um outro especialista conhecido dele. Confesso que deixei esta como última opção por achar que seria mais um jovem mecânico, me enganei. Mais uma lição aprendida: não tirar conclusões precipitadas!

Munido do Carburador, do Manual Haynes e do livro Conheça seu Volkswagen fui até o local. Acho que a surpresa foi mútua ao contar àquele senhor de setenta e tantos anos o que eu sabia sobre o carburador do meu carro (justiça seja feita, aprendi no Fórum Fusca Brasil). Sr. Wellington, com toda a calma e serenidade que a idade avançada proporciona a uma pessoa, me explicou toda a estrutura do SOLEX 28 PCI, comparando com o desenho esquemático do livro e ainda trouxe um SOLEX PIC 30 (do 1300) para mostrar as diferenças, que são muitas, mas a principal delas ficou evidente: o SOLEX 28 NÃO POSSUI BICO INJETOR como nos demais carburadores e sim um orifício na sua própria estrutura que faz a injeção do combustível (foto). Com isso, não havia problema algum com meu carburador, somente sujeira de longos anos nos gicleurs, e certamente gasolina velha destes últimos oito meses.

Alguns amigos até já tinham sugerido que seria este o problema, mas como eu queria revisar todo o sistema de alimentação do carro, aproveitei para começar pelo carburador.

Foi uma baita aula que tive sobre carburadores de fusca. Aproveitei o ensejo e encomendei pela internet o jogo de reparo do carburador, da bomba de combustível, os canos de alimentação, um filtro de gasolina novo e uma tampa do tanque de combustível nova. E por falar em tanque, quero abrir para ver seu estado e limpá-lo se necessário, duvida que será?

______________________
Se for copiar, cite a fonte!

Anúncios

3 respostas para “Fusca 62 – O carburador do fusca 1200”

  1. Parabéns amigo, por compartilhar suas experiências. Aonde você comprou o kit de reparo de carburador do 28 PIC, existem vários pela internet, mas desconheço a qualidade das peças?

    1. Olá Thiago, obrigado pelo comentário.

      Inicialmente gostaria de pedir desculpas pela demora na resposta, as vezes fico tempos sem olhar o painel do blog. Bom, comprei o kit na Lider 101 (www.lider101.com.br). Quanto a qualidade, o mecânico que o instalou (um senhor bem experiente) não comentou nada, por isso imagino que não seja ruim. Ao que parece, o material das juntas é muito simples e não tem como ser melhorado, mas posso estar enganado.

      Você também tem um 1200?
      É isso cara, um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s