O ócio mata o homem

O ócio mata o homem!
Em cada badalada que o relógio dá
A vida se esvai devagar
A rima se atropela sem pensar
Mais frio vai ficando quando somem.

Na triste esperança da labuta
O homem que um dia morrerá
Da carne estacionada que perece
Da fome não se alimentam os que comem.

O ócio mata o homem!

Vida alegre, acordar cedo
Dia inteiro, sudorese
Mente, corpo, mente sempre
Mente limpa, mente e medo
Espuma abraça peso breve.

Fim de dia cansativo
Viva, vida novamente
Fim de semana rotativo
Mente e corpo se consomem
O ócio mata o homem.
______________________
Se for copiar, cite a fonte!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s